sábado, 21 de dezembro de 2013

O PENDURADO




Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro.
Gálatas 3:13
Sei que fiquei pendurado naquela árvore fustigada pelo vento.
Lá balancei por nove longas noites,
Ferido por minha própria lâmina, sacrificado a Odin,
Eu em oferenda a mim mesmo.
Edda poética, trecho do poema Hávamál.

***

Encrava-se a cruz
Encrava-se a faca.
Escorre o sangue
a umedecer o pão
sobre o qual se assenta o Reino
que se perde
Pende
Roído o ventre do enforcado.

Asas escuras
que guincham
e partem


Nenhum comentário:

Postar um comentário